Exposição do misterioso Escher chega ao Museu de Arte Popular

O Museu de Arte Popular ostenta desde 24 de novembro 200 obras do artista holandês M. C. Escher, uma inspiração para os matemáticos com experiências sensoriais únicas.

O Museu de Arte Popular, em Lisboa, acolhe a partir de 24 de novembro uma exposição dedicada ao trabalho de M. C. Escher, que reúne 200 obras do artista holandês e inclui equipamentos didáticos.

Em comunicado, a organização de “Escher” adianta que às “200 obras do génio artístico” juntam-se “equipamentos didáticos, visitas guiadas para diferentes públicos/faixas etárias e laboratórios científicos”, tornando a exposição “numa aprendizagem e experiência sensorial únicas”.

“Os visitantes terão ao seu alcance a oportunidade de estimular a imaginação geométrica, a intuição e a capacidade de ‘ver’. O confronto com as obras de Escher proporcionará ainda a reflexão sobre o sentido estético, a fantasia e princípios como os de ordem e estrutura”, lê-se na nota.

A mostra, com curadoria da produtora de exposições de arte Arthemisia, estará patente até 27 de maio do próximo ano.

Maurits Cornelis Escher (1898-1972), que também ilustrou livros e desenhou tapeçarias, selos, postais e murais, ficou mais conhecido pelas suas xilogravuras, litografias e meios-tons.

A sua obra tende a representar construções impossíveis, preenchimento regular do plano, explorações do infinito e metamorfoses – padrões geométricos entrecruzados que se transformam gradualmente para formas completamente diferentes.

Deixe um comentário